More

    Startups africanas inaugurando a nova era da Web3.0 na África

    • O principal princípio por trás da melhoria da nossa atual Web2.0 para Web3.0 é promover a tecnologia blockchain e aprimorar conceitos centrais como descentralização, abertura e excelente usabilidade
    • A Web3 levou ao desenvolvimento de conceitos populares, como o espaço Crypto, NFTs, tecnologia baseada em blockchain e muito mais
    • Muitas empresas construídas na Web3.0 estão de olho na África e, como resultado, várias startups africanas surgiram

    A evolução é um fator constante da natureza embutido no próprio âmago dos seres humanos. Isso é evidente na evolução muito aparente da humanidade.

    O princípio fundamental é sempre fazer algo melhor, mais eficiente e mais direto. No mundo digital, houve inúmeros avanços nas últimas décadas. Eles variam de veículos ecologicamente corretos a veículos autônomos, de transferências bancárias a moedas digitais. Tudo isso são sinais de evolução.

    Hoje vamos nos concentrar em 5 startups africanas com o objetivo de incorporar a tecnologia blockchain para promover a adoção da Web3.0. Seu principal objetivo é promover a tecnologia e o espaço criptográfico da África para melhorar a África.

    O que é Web3.0 e por que é necessário para a África?

    Web3 é a próxima evolução da nossa internet. De preferência, é a próxima iteração da Internet ou Web2.0. O principal princípio por trás da melhoria da nossa Web 2.0 atual é promover a tecnologia blockchain para aprimorar conceitos centrais como descentralização, abertura e excelente usabilidade.

    Berners-Lee descreveu a primeira iteração da Web3.0 em um artigo chamado Web Semântica. Propôs um novo conceito para estruturar o conteúdo significativo das páginas da web, permitindo que diversos softwares criassem uma experiência totalmente única para seus usuários.

    A Web3.0 progrediu e alcançou mais coisas que a Web Semântica não conseguiu. A Web3.0 inaugura uma nova fase de evolução para a humanidade. Isso levou ao desenvolvimento de conceitos populares, como o espaço Crypto, NFTs, tecnologia baseada em blockchain e muito mais.

    Além disso, leia as características do blockchain Ripple que sustenta o XRP entre as principais criptomoedas

    A Web 3.0 deu um novo visual às coisas e, por causa disso, muitos notaram o potencial oculto na África. Muitas empresas construídas na Web3.0 estão de olho na África e, como resultado, várias startups africanas surgiram.

    Tudo em uma tentativa de promover totalmente a tecnologia da África e a adoção da Web 3.0. Se você está acompanhando as últimas tendências do mercado de criptomoedas, a África é atualmente o “bolo quente” para novos empreendimentos e startups.

    A taxa de adoção da Web3 dispara na África.[Photo/PCMag]
    A taxa de adoção da Web3 dispara na África.[Photo/PCMag]
    Idealmente, isso despertou interesse em vários países africanos. Muitas mentes africanas novas e inovadoras compreenderam o potencial e a oportunidade trazidos pela Web3.0. Estaremos analisando algumas das principais startups africanas que visam inaugurar uma nova era de tecnologia na África como resultado da adoção da Web3.0.

    afropolita

    A Afropolitan foi uma empresa construída para divulgar e promover a Diáspora Africana. Em 2016 foi lançado oficialmente por Eche Emole e Chika Uwazie. Em 2022, o grupo mudou para a Web3.0, tornando-se uma organização autônoma descentralizada e uma nação digital.

    O objetivo principal da comunidade como serviço é promover o talento, a cultura, o capital, a informação e a experiência de negros e africanos. Um anúncio recente foi que o DAO levantou um total de US$ 2,1 milhões para levar a adoção da Web3.0 à África.

    O principal objetivo por trás desse gesto generoso é promover o espaço criptográfico e NFT na África. Afinal, a startup africana não é uma organização pequena; revolucionou e inspirou muitos africanos. Ao ponto, contém até mesmo seu movimento, “afropolitanismo”.

    Lazerpay

    Esta startup africana foi um empreendimento que a maioria não tinha grandes esperanças para todos porque um gênio de 19 anos, Njoku, começou. É um gateway de pagamento criptográfico construído pelo jovem inovador e seus parceiros  Abdulfatai Suleiman  e  Prosper Ubi . Seu principal objetivo era fornecer um meio de pagamento rápido para empresas que realizam pagamentos transfronteiriços. Ele também contém API de finanças descentralizadas, ampliando a visão de um negócio.

    Esta startup africana é um exemplo dos benefícios da adoção da Web3.0. Também promove o espaço criptográfico da África, por meio de sua tecnologia blockchain, desenvolvendo recursos como pagamentos criptográficos, pagamentos globais, carteiras de negócios e negociação criptográfica.

    Imediatamente 

    Mara é uma startup pan-africana criada para ajudar os africanos do Saara a aprender, desenvolver e aprimorar suas habilidades com a tecnologia blockchain. A plataforma blockchain hospeda aulas virtuais, aulas e até eventos para ensinar mentes inovadoras e empolgantes sobre os principais benefícios das habilidades da Web3.0.

    Leia também : A onda de adoção e uso de criptomoedas na África é imparável

    The Hack, The Mara Hackathon, frequentemente convida desenvolvedores de blockchain a enviar propostas para vários projetos Web3.0. Esses projetos incorporariam DeFi, qualquer Blockchain em conceitos e até relacionados a criptomoedas. O principal objetivo é celebrar os desenvolvedores e inovadores africanos da Web3 que assumem o manto de promover a tecnologia da África e o desenvolvimento da Web3.0. É vital notar que os principais projetos recebem dinheiro ou contratos que financiam essas ideias brilhantes para serem concretizadas.

    Ayoken

    A Ayoken é a primeira startup africana a priorizar ser um mercado digital colecionável conectando artistas africanos de NFT ao público global. Joshua King encontrou este empreendimento na esperança de criar uma plataforma para artistas africanos mostrarem toda a sua criatividade, paixão e habilidade.

    Atuando como uma ponte para a cultura africana, o CEO pretende continuar a promover a tecnologia e a cultura africana, mostrando-lhes as verdadeiras capacidades da Web3.0.

    Como prova dessa crença, a empresa conseguiu US$ 1,4 milhão para expandir e expandir seu mercado NFT para alcançar novos patamares e aumentar seu alcance no espaço Crypto.

    Estas são algumas startups africanas que foram pioneiras na adoção da Web3.0 na África. De fato, no vasto escopo de aplicação da Web3, ainda há muitos colaboradores-chave. Este artigo foi apenas o primeiro de uma série de 3 partes a fornecer muitas visualizações do mundo das criptomoedas.

    Junte-se ao nosso canal no Telegram
    Você está lendo o WizandroidMZ– Plataforma Moçambicana de notícias sobre Tecnologia disponibilizamos Notícias, reviews, Dicas, informações e mais , dia após dia. Certifique-se de verificar nossa página inicial para todas as últimas notícias e siga WizandroidMZ no Twitter , Facebook e LinkedIn para ficar por dentro. Não sabe por onde começar? Confira nossas histórias exclusivas, ,Ficha Técnica,, dicas e inscreva-se em nosso canal do YouTube

    Sobre o Autor

    Inácio Manhulahttps://www.wizandroidmz.com
    Empreendedor Digital , Fundador do site www.wizandroidmz.com , adoro escrever sobre Tecnologia, criar artigos de interesse tecnológico . Especialista em SEO, Webdesign e Markting Degital .

    Leave A Reply

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    Artigos recentes

    Novos Comentários

    Mais Vistos

    Não perca

    10 Melhores jogos parecidos com God of War – Xbox/PC/PlayStation Call Of Duty:Warzone Mobile — Requisitos para Android e IOS Todas as cores do iPhone 14 e 14 Pro Tecno Megabook T1 : Recursos e especificações Principais recursos do Android 13 Apex Legends Mobile Rhapsody – Como Desbloquear – Dicas e Truques Baixar Shorts do Youtube Xiaomi 12s ultra é bom? Google Pay parou de funcionar: Como corrigir Tecno Camon 19 Pro é bom? Review Completo